A concepção de uma rede tronco-alimentador

Após um hiato consideravelmente grande, volto com notícias interessantes. Apesar de não ter modificado muitas coisas no blog, o projeto continua avançar. Ouvi opiniões de muitas pessoas sobre novas linhas e melhorias nos traçados, e, inclusive, no dia 3 de março, estive durante 7 horas no Centro de Controle de Operações da Metrô Rio, onde houve uma série de palestras que esclareceram muitas dúvidas.

 Apesar de que ainda alguns setores estarem em fase de desenvolvimento, decidi voltar a postar, mostrando essa nova roupagem do projeto, destacando as diferenças com as versões anteriores. Portanto, durante mais ou menos um mês, o blog estará passando por algumas “obras”. O tubemap (mapinha de metrô) e o mapa geográfico já estão atualizados na página incial.

Clique para conferir os ajustes na rede

 Uma novidade é que o Quero Metrô! contará com um novo integrante, que apresentarei mais tarde. Estivemos nos reunindo nos últimos meses para compatibilizar nossas idéias. Com isso, o projeto avançou bastante no conceito de rede tronco-alimentador, onde modais mais pesados como metrô se comportam como linhas arteriais (ou linhas tronco) e modais mais leves, mas ainda sim racionalizados, tal qual BRT ou VLT, se comportam como linhas alimentadoras. Para isso, alteramos o nível de carregamento em algumas linhas. Por exemplo, nesse ajuste, algumas pessoas sentirão falta da Linha 12 (Bosque Marapendi – Realengo) ou de uma das pontas da Linha 7 (Gramacho – Anchieta), mas simplesmente pensamos em corredores de ônibus (BRT) para substituí-los.

A antiga Linha 12 dará lugar a um BRT no sistema

 Por outro lado, foi dado espaço para novas linhas de metrô substituindo alguns corredores BRT. Por exemplo, entramos em contato com a Secretaria de Transportes do Estado e obtivemos acesso aos estudos de demanda do futuro Transbrasil. A conclusão foi que tal corredor poderia se saturar rapidamente e tem demanda compatível com metrô.

 Outros trechos foram modificados com a concepção de novos corredores – o percurso “Barra – Vilar dos Teles”, com parte do percurso sugerido por um leitor do blog, tem uma demanda tão particular que o consideramos uma linha arterial, podendo em longo prazo ter demanda para metrô. O outro percurso “Alvorada – Fundão”, também conhecido como Transpan, fomentou uma série de alterações da malha ao longo da Linha Amarela. Porém, analisando de forma geral, apenas pequenos ajustes foram feitos.

Anúncios

4 Respostas para “A concepção de uma rede tronco-alimentador

  1. Pedro, você ainda teria imagem de mais ou menos setembro de 2011, do mapa antigo? Eu ficaria muito grato.

  2. Legal, atualizações! Agora não dá pra ver as imagens, pois estou no busão indo pra casa, mas para uma primeira vista está ótimo.

    • hehe
      Obrigado por sempre comentar Thiago. Te respondi na página inicial sobre a Linha 4, é uma discussão meio difícil, já que o Governo Estadual é pouquíssimo transparente.
      Um abraço!

      PS: O que aconteceu com a sua foto? Ela aparecia normalmente, agora está aquele “monstrinho” padrão do WordPress. 😀

      • É que tinha comentado pelo celular, e por causa disso eu não coloquei o link do Gravatar.

        PS: Vi o tubemap, e pelo que vi está melhor e mais enxuto. Estou gostando de ver a evolução do projeto.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s