Linhas

O projeto idealiza 12 linhas para a região metropolitana, que aqui serão explicadas de uma forma geral.


Linha 1 – Central
Laranja – 27,8 km – 30 estações

Tijuca – Centro – Zona Sul

Uma das linhas já existentes, sendo a linha mais perto de ser finalizada e podendo ser o primeiro passo para todas as reclamações desse movimento. Para conclusão dessa linha faltariam apenas 11 novas estações e os trechos adjacentes.

Como no projeto inicial para o metrô discutido nos anos 70, esta linha idealizada seria anelar, ligando Centro, Tijuca e Zona Sul.

Ler mais >>


Linha 2 – Guanabara
Verde – 60 km – 55 estações

Belford Roxo – Guaxindiba

Ler mais >>


Linha 3 – Brasil
Azul – 29,2 km – 29 estações

 Deodoro – Carioca 

Ler mais >>


Linha 4 – Barra
Preta – 38,3 km – 27 estações

Rodoviária – Recreio Shopping

Essa linha não existe, mas parte dela já foi planificada e algumas obras já começaram entre Gávea e Jardim Oceânico. Mesmo assim, o planejamento poderia ser otimizado.

Além desse trecho projetado pelo governo, há ainda o que se pensar numa integração para a região central e Zona Sul, e expansão no resto da Barra e Recreio. A linha poderia passar pelo lado norte da Lagoa, passando por Botafogo e fazer uma via alternativa em direção ao Centro.

Ler mais >>


Linha 5 – Turismo
Amarela – 30,2 km – 23 estações

Ribeira – General Osório

A linha é uma ligação direta entre a região hoteleira, na orla da Zona Sul, e o Aeroporto Internacional, na Ilha do Governador. Além de favorecer diretamente o turismo, é importante para resolver parte do maior problema da atual malha carioca, que é escoar passageiros oriundos da Supervia para a Avenida Rio Branco e Zona Sul.

Intercalando tunéis, elevados e trechos em superfície, essa importante via transversal ligaria Ilha do Governador, Centro e Zona Sul.

Ler mais >>


Linha 6 – Carioca
Magenta – 39,3 km – 31 estações

Cocotá – Alvorada

A construção de uma linha dessa forma representaria a maior integração dos bairros muito encurralados da região de Jacarepaguá e a dissipação da saturação das linhas ferroviárias do subúrbio carioca. Além disso, integraria a Ilha do Governador e a Barra da Tijuca.

O trecho seguiria uma direção transversal às tradicionais linhas do Rio, atravessaria Ilha do Governador, Zona Norte e Jacarepaguá.

Ler mais >>


Linha 7 – Niterói
Jade – 21,8 km – 19 estações

Araribóia – Largo da Batalha

Trata-se de uma linha circular que desengarrafaria definitivamente o trânsito de Niterói. Como estaria apenas no lado leste da Baía, faria baldeação apenas com a Linha 3, em três estações no centro da cidade.

Passaria pelo centro de Niterói, Icaraí, São Francisco, Região Oceânica, Pendotiba e Fonseca. Esse trajeto pode ser satisfeito com 19 estações.

Ler mais >>


Linha 8 – Auxiliar
Roxa – 56,4 km – 42 estações

Gávea – Prata

Também originada de um ramal da Supervia, a Linha 8 consolidada representa uma maior revolução do que das Linhas 11 e 12, que teriam processos de modernização análogos.

O propósito da linha mudaria, conectando o Subúrbio à Tijuca e à Zona Sul ao invés do Centro. O trajeto tradicional até a região central poderia ser feito com trens expressos.

Ler mais >>


Linha 9 – Suburbana
Rosa – 16,1 km – 15 estações

Fundão – Jardim Sulacap

Ler mais >>


Linha 10 – Transversal
Lilás – 27,8 km – 22 estações

Bosque Marapendi – Vilar dos Teles

Ler mais >>


Linha 11 – Noroeste
Vermelha – 63,9 km – 58 estações

Passeio – Campo Grande

Essa linha não se expressa em expansão como a maioria da malha discutida nesse blog. A palavra chave para a Linha 11 é modernização. Com exceção de um trecho, toda a linha é idêntica aos ramais Santa Cruz e Japeri da Supervia, que deveriam ser melhorados.

Tal linha proporcionaria uma melhor integração entre a Zona Oeste e Baixada Fluminense com a malha metroviária: parte da Zona Norte e o Centro da cidade.

Ler mais >>


Linha 12 – Leopoldina
Marrom – 27,7 km – 28 estações

Santos Dumont – Gramacho

Assim como a Linha 11, a Linha 12 propõe uma modernização de um ramal da Supervia. O ramal Saracuruna seria modernizado completamente e se ligaria ao centro de uma forma alternativa à atual.

O desvio do tradicional caminho da Baixada Fluminense e Zona Norte para o Centro seria feito por dentro do bairro de São Cristóvão e Avenida Mem de Sá, se integrando melhor com as outras linhas.

Ler mais >>

Anúncios

13 Respostas para “Linhas

  1. Entre tudo que vc postou a unica coisa que me deixa triste é que esse projeto tende a querer facilitar a vida de muitas pessoas arruinando a vida de moradores que ficam e ficarão sem suas casas sendo elas humildes ou não , sem o menor direito e respeito de ter o valor verdadeiro de seus imóveis, derrubando-os e pronto, acabou. O sonho de milhares de pessoas que trabalharam suado vira pó .

    • Cara, não fique triste ou zangado: estou fazendo o possível para que desapropriações aconteçam no mínimo número de casos. Pesquiso a história do terreno carioca, converso com especialistas e moradores, tento fazer um traçado que passe no mínimo de edifícios possível. E claro que quando acontece, as pessoas não vão sair de mão abanando, um dos grandes custos desse tipo de obra é em desapropriação.
      Quando não é possível, às vezes se a população que perder as casas for muito pobre, dá pra fazer um trabalho muito legal de realojamento.
      Ainda é uma pena que os políticos são tão demagogos, tanto com a área de transportes quanto a política habitacional.

      Sou favorável a urbanização de favelas, mas muitas vezes são invasões de áreas de risco ou de proteção ambiental (ambos casos geralmente em morros). Essas habitações devem ser removidas sim, realojando as pessoas para habitações próximas ao local onde moravam, com condição de transporte decente. É incocebível deixar as pessoas morando em tais locais.

      Entenda também que obras desse tipo são ESSENCIAIS para uma metrópole de parâmetros globais como a região metropolitana do Rio de Janeiro.

  2. é uma boa idéia mas eu vi um pequeno problema, a linha 9 transversal- pedra de itauna/siqueira campos possui 3 estações seguidas em menos de 400m de distancia, são elas: Estácio, Leopoldina e Cidade Nova que integram também as linhas 1,2,5 e 7; sendo assim elas poderiam formar apenas uma grande (enorme) estação com a integração de 5 linhas

    • hehe Você previu um dos meus posts.
      Ali haverá um complexo entre as estações, havendo livre circulação entre elas de uma forma subterrânea. Batizei o lugar de Complexo da Praia Formosa.
      Estou sem tempo não de ter ideias, mas de organizar arquivos para poder postar. É meio complicado explicar todas as mudanças de uma forma sutil

  3. Muito interessante, realmente seria uma forma de desengarrafar o Rio de Janeiro, e de mais e melhores opções de tranportes para a Cidade, está de parabéns !

  4. Pingback: Guia Sul Fluminense » O Metrô Carioca perfeito

  5. Pingback: O Metrô Carioca perfeito | Diário do Rio de Janeiro

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s